Páginas

terça-feira, 24 de maio de 2016

Processo de beatificação de pe. Ibiapina, que trabalhou em Santa Luzia, avança com visita de representantes do Vaticano

Comissão verifica restos mortais de Pe.Ibiapina. Pascom/Guaraira
Representantes da Comissão para Causa os Santos, do Vaticano, estão desde o último sábado (21/04) na Diocese de Guarabira para reunir documentos para o processo de beatificação do Padre Ibiapina. 

Os frades Paolo Lombardo e Paolo Vilotta passarão dez dias em Guarabira  para ouvir testemunhas, relatos de cura, padres, religiosos e leigos, além analisar documentos e conhecer a devoção de vivenciada no Memorial do Padre Ibiapina em Santa Fé (distrito pertencente à Solânea).

No último domingo a comissão, juntamente com o Bispo Diocesano Dom Lucena e alguns leigos, participaram da exumação dos restos mortais do padre que estavam sepultados no Memorial Pe. Ibpiapina em Santa Fé. A segunda e terça feira foram dedicadas às entrevistas e coleta de documentos.

A PASSAGEM DO PADRE IBIAPINA EM SANTA LUZIA

Em Santa Luzia há uma rua e um açude que recebem o nome de Padre Ibiapina. Isto se deve à sua passagem pela cidade entre os anos de 1862 e 1875. No primeiro ano de sua visita, o Padre criou a Casa da Caridade cuja função era receber as órfãs da cidade assim como as pessoas excluídas. No ano de 1863 o Padre deu início à construção do açude que durante muito tempo abasteceu a cidade e que hoje está poluído e com pouca água. 

A IMPRESSIONANTE TRAJETÓRIA DO PADRE IBIAPINA

José Antônio Pereira Ibiapina nasceu no dia 5 de agosto de 1806, em Sobral, Ceará, filho de Francisco Miguel Pereira e Teresa Maria de Jesus. Em 1823 ingressa no seminário de Olinda, mas, com o assassinato de seu pai precisou voltar ao Crato para cuidar dos negócios da Família.  Em 1828 retorna ao Seminário e Olinda ao mesmo tempo em que inicia seus estudos na Faculdade de Direito . Saindo  do seminário vai ser professor de direito no Ceará. Chegou a namorar e noivar com uma moça do Crato, porém, a moça acaba se casando com outro homem. Em meio a esta decepção, Ibiapina é eleito deputado geral e vai representar o Ceará na Câmara Federal.

Em 1834 é nomeado juiz de direito na comarca da cidade que hoje é Quixeramobim onde fica apenas três meses, mas se destaca por decisões proferidas em favor dos pobres. Após a saída da magistratura volta a exercer a advocacia no Recife.

Entre 1838 e 1840 Ibiapina mantém um escritório de advocacia em Pernambuco. Por uma decepção ele resolve abandonar a profissão de advogado. Em 1850 entra em um período de vivência espiritual profundo. Procura o bispo Dom João da Purificação e consegue passar por um processo muito rápido de ordenação. Em 11 de junho de 1853 recebe a ordem do diaconato e a ordenação sacerdotal ocorreu no dia 3 de julho deste mesmo ano, o que foi um processo muito rápido e, portanto, especial. 

Em 1854 foi nomeado professor de Eloquência Sagrada, História Sagrada e Eclesiástica no Seminário. Porém, em 1855 vem para a Paraíba e dá início a um trabalho missionário pelas cidades do interior nordestino promovendo caridade. Foram mais de 20 casas construídas, além de hospitais, cemitérios, escolas e açudes.

Em 1875, após visitações, o padre Ibiapina fica paralítico e, como a regra de então proibia os padres de celebrarem sentados, o padre ficou sem exercer esta atividade de seu ministério.

Em 19 de fevereiro de 1883, logo cedo pela manhã,  o padre Ibiapina tem uma visão de Maria no Céu. Disse a uma beata que o acompanhava: - "Lá está Maria"! Recebeu a extrema unção e cantou baixinho uma canção "O Salutaris Hostia". Dizem relatos que, por volta das 3h00 da tarde o padre faleceu mantendo um sorriso no rosto.

FOTO: Pascom/Diocese de Guarabira
Informações: Pascom Guarabira

Referências Bibliográficas:

PINTO JÚNIOR, Luis Araújo.O PADRE IBIAPINA, PRECURSOR DA OPÇÃO PELOS POBRES NA IGREJA DO BRASIL. IN: Revista Perspectiva. Teológica. 34 (2002) 197-222

BEZERRA, Osicleide de Lima. Trabalho, pobreza e caridade:As ações do Padre Ibpiapina nos sertões do Nordeste. UFRN. Natal. 2010. (Tese de Doutorado em Ciências Sociais)
Compartilhe : :

0 comentários:

Postar um comentário